– Como importar dados do Excel para a tabela do Infer 32?

Inicialmente, observe os passos abaixo:

 

  • A tabela do Excel não pode ter células mescladas;
  • Apenas uma única célula deve compor o título;
  • A primeira célula da tabela do Excel será utilizada como nome de variável na tabela do Infer (pode ser editada posteriormente);
  • Após a importação dos dados é necessário verificar e configurar na planilha do Infer, caso necessário, os tipos de variáveis.

 

Caso os pontos acima estejam OK, prossiga para a próxima etapa:

 

  • Abra a planilha do Excel e salve-a como “Texto (separado por tabulações)”;
  • Após salvar a planilha, feche todos os arquivos relacionados a planilha que irá fazer a importação. Se ela estiver aberta, não será possível fazer a importação;
  • Abra o “Infer 32 – Módulo de Estatística”;
  • Clique em Arquivo >> ler planilha;
  • Navegue até a pasta onde salvou a planilha de texto do Excel;
  • Na opção de “Tipo”, selecione “Arquivos de texto (*.TXT)”;
  • Selecione então a planilha que havia salvado anteriormente;
  • Clique em abrir e todos os dados do arquivo virão para a tabela do Infer.

 

Por fim, você pode organizar as informações e depois começar a utilizar os dados.

– Quais são os recursos disponíveis na versão de Demonstração do Infer 32?

Todos os recursos disponíveis para a versão profissional sistema estão presentes nesta versão de demonstração, exceto que:

 

  • Não será possível ler ou gravar em disco (salvar) planilhas de dados;
  • Será possível processar apenas 4 exemplos que acompanham o INFER;
  • Será possível processar os dados apenas dos 4 exemplos fornecidos.

 

A versão completa deste software possui todos os recursos apresentados em seu manual de instruções, disponível neste site mediante licenciamento.

 

Este sistema de demonstração é livre e pode ser distribuído gratuitamente sem a necessidade de comunicação à nossa empresa.

– Preciso fazer algum curso para aprender a utilizar o Infer 32?

Não é necessário um curso específico para o manuseio do INFER32. Fornecemos nossos Manuais de Instruções, que consistem no Manual de Operação do INFER32 e o Manual de Itens do Relatório, disponíveis em nosso site na área de Download.

 

Estes manuais são de fácil entendimento, didáticos, práticos e autoexplicativos. Uma vez que sejam lidos e tenha sido seguidos os exemplos disponíveis na versão de demonstração do software INFER32, bem como na versão completa, todas as dúvidas de funcionalidade do programa serão sanadas, sobretudo para novos usuários.

 

Para treinamentos e cursos na área de avaliações, perícias, interpretação de resultados, dentre outros, você pode acessar nossa página na seção de Cursos, onde recomendamos alguns de nossos clientes e parceiros. Ou você pode procurar o IBAPE ou outro órgão regulamentador de seu estado.

– Como o Infer trata as normas e as restrições estabelecidas nela?
  • Os valores fornecidos na janela “Significâncias e confianças” representam a interpretação da Ária a respeito dos critérios definidos pela norma NBR 14653-2 bem como outras que a antecederam. Não é impossível que haja discordâncias em relação a esta interpretação. Caso alguma discordância seja levantada, avaliaremos e responderemos conforme forem surgindo.

  • Esta janela de “Significâncias e confianças” pode ser alterada pelo usuário. O usuário pode, inclusive, colocar valores incompatíveis com a norma. Isso foi feito assim para que não fosse necessário intervenção da Ária sempre que fosse feita uma alteração na norma.
  • Esta janela de “Significâncias e confianças” permite que o usuário crie uma configuração sua, particular, e grave para que seja usada nas suas avaliações. Isso pode parecer estranho mas a norma não trata de todas as significâncias e pode ser que o usuário deseje definir seus próprios critérios quando a norma não tratar deles.
  • Os cálculos do Infer usam as significâncias e confianças definidas nesta janela para fazer os cálculos dos testes estatísticos. Por isso, mesmo nos itens não tratados pela norma, é necessário que se defina os valores de significância/confiança que se deseja usar para que seja possível fazer os cálculos.
  • Os itens definidos nas normas, em seus diversos níveis devem ter marcados os quadros identificados por [ ] Normatizada em cada uma das significâncias/confianças ou critérios. Se o quadro estiver como [√] Normatizada, o Infer assumirá que aquele item está definido em norma.  Se, por outro lado estiver como [ ] Normatizada, o Infer ainda assim usará o valor de significância para os cálculos, mas assumirá que aquele item não está definido na norma.

  • Os cálculos são exatamente iguais, seja o item marcado como [√] Normatizada, quanto [ ] Normatizada.
  • Quando um item (qualquer que seja ele) estiver marcado como [√] Normatizada, no item de relatório relativo àquele item, aparecerá a mensagem indicando que aquele item está satisfazendo um critério estabelecido em norma (se o resultado assim o indicar) ou que não está atendendo um requisito estabelecido em norma (se o resultado não satisfizer os limites da norma).
  • Quando um item (qualquer que seja ele) estiver marcado como [ ] Normatizada, no item de relatório relativo àquele item, será indicado se o resultado satisfez o limite de significância/confiança ou outro critério, mas nenhuma referência a qualquer norma será colocada. Esta diferença na mensagem no item do relatório é a única diferença entre os itens marcados como normatizados ou não.
  • Nos itens em que critérios ou limites não são estabelecidos em norma, foi colocado no Infer um valor que pareceu ao corpo técnico como adequado aos demais limites daquela norma, naquele nível. Naturalmente, como estes valores não estão definidos em norma, podem ser livremente alterados pelos usuários sem que isso impacte na validade dos resultados.
  • De qualquer forma, em todos os itens de relatório onde for aplicável, é informado qual o valor da significância/confiança usado para os cálculos, de forma que aquele que estiver lendo o relatório não possa ser induzido a erro de análise por não saber baseado em que significância cada um dos itens foram calculados.
– Como escolher as variáveis que irão aparecer nos gráficos 2D e 3D do Infer32?

No manual de operação do Infer32, páginas 164 a 167, são tratadas as gerações de gráficos de regressão 2D e 3D. Para tanto é necessário que haja uma variável dependente e no mínimo uma variável independente (para gráficos 2D) e no mínimo duas variáveis independentes (para gráficos 3D), podendo elas serem tanto numéricas quanto dicotômicas, qualitativas ou data. Dependendo da quantidade de variáveis, pode haver muitos gráficos, mas basta escolher quais deles devem ficar clicando em Configurar Relatório.

 

Para ver a opção de gráfico 2D, clique no antepenúltimo item do relatório:

 

 

Dê um clique duplo sobre um dos gráficos para abrir a janela de configuração:

 

 

Em seguida clique em Opções, deixando marcado todas as variáveis que você deseja exibir em seu relatório.

 

Por fim, na janela de configuração, clique em Aplicar a Todos.

 

As mesmas configurações podem ser aplicadas nos gráficos 3D, bastando clicar no último item do relatório e procedendo com as alterações, clicando no último item da lista do relatório.

 

Lembrando que a tela de visualização do relatório do INFER32 exibe em torno de 2 gráficos por página. Para visualizar os outros gráficos é necessário apertar a tecla PAGE DOWN de seu teclado.

 

Em caso de dúvidas, basta Exportar o relatório para o computador e visualizá-lo com o Word.

 

– É possível efetuar avaliações de bens móveis (carros, motos, etc) com o Infer 32?

Com o nosso sistema INFER32, é possível efetuar avaliações de imóveis, móveis, de bens tangíveis e intangíveis, visto ser a Inferência uma dedução feita com base em informações ou um raciocínio que usa dados disponíveis para se chegar a uma conclusão.
Inferir é deduzir um resultado, por lógica, com base na interpretação de outras informações e, no nosso caso, via estatística.

Se for possível conhecer o mercado que ser quer avaliar e definir corretamente quais variáveis são necessárias para a avaliação, existe uma probabilidade estatística de se fazer a avaliação de qualquer bem.